Idioma_portugues Idioma_ingles Idioma_espanhol
Logo

Matérias


Casarão – Praça General Polidoro, 67

Uma coisa que nos deixou muito felizes foi o fato de, sem querer, quando o filho de um dos sócios da empresa, procurando na internet o CEP da Camis para nos mandar uma correspondência, se deparou com uma linda reportagem feira pelo Sr. Douglas Nascimento no site ¨saopauloantiga¨ sobre nossa sede, ficamos surpresos, pois não era de nosso conhecimento que tal reportagem fora feita, inclusive as fotos foram feitas em um dia de domingo o qual a empresa está fechada.

Registramos aqui nossos sinceros agradecimentos ao Sr. Douglas e a todas as pessoas que postaram elogios no blog e aproveitamos para parabenizá-los pelas excelentes matérias que encontramos lá, não só da nossa sede como de outros lindos imóveis que ainda conseguimos encontrar em nossa cidade.

Não deixem de ver a matéria na integra clicando no link abaixo e aproveitem para dar uma navegada no site que é de muito bom gosto.

http://www.saopauloantiga.com.br/praca-general-polidoro-67/

 



Um pouco da historia do parque da Aclimação...

O Jardim da Aclimação foi adquirido da família Carlos Botelho, em 1939, pela prefeitura de São Paulo que praticamente o abandonou. O zoológico que ali existia foi retirado, o parque de diversões, depredado, o lago acabou sendo poluído pelo acumulo de lodo, e o mato tomou conta do que antes era um gramado. Após 16 anos em 1955, na administração de William Salem, algumas reformas iniciadas por Jânio Quadros foram concluídas com as alamedas que receberam asfalto, postes de iluminação foram instalados e foi construída a concha acústica utilizada até hoje para shows. Em 1956, o local ganhou também um campo de futebol.

Menos de dez anos depois, na década de 1960, as reclamações da comunidade recomeçaram. Desta vez, no entanto, além de resíduos, buracos e mato, a preocupação era com ladrões e usuários de drogas que haviam se deslocado de pontos mais centrais e visados pela polícia, como o Jardim da Luz, para os bairros. A situação chegou a tal ponto que em 1969, o jornal O Estado de S. Paulo publicou um alerta à população, para que não fosse ao parque nem mesmo durante o dia: “... as más intenções se escondem por detrás da vegetação espessa ou da escuridão quase total que marcam o Parque da Aclimação”.

Em 1972, já na administração Figueiredo Ferraz, o parque passou por sua última grande reforma. Umas das providências, estendida a muitas praças da cidade, foi a colocação de grades em volta da área, com o objetivo de controlar a entrada pelos seus quatro portões. Foram restauradas benfeitorias já existentes, como o antigo ancoradouro, a concha acústica, as pistas de bocha, as alamedas e canteiros, a praça esportiva, que recebeu novos alambrados e arquibancadas. Um novo playground também foi construído, aproveitando os desníveis do terreno.

O Parque da Aclimação já teve até zoológico, o primeiro da cidade aliás, jardim com alamedas e lago para lazer dos paulistanos. Além também de uma leiteria com posto zootécnico e botânico.

O zoológico do Parque já foi uma grande sensação da cidade de São Paulo. Tinha peixe elétrico da Amazônia, hienas africanas e camelos, nos quais era possível montar. Graças à uma parceria com o grupo da cervejaria Antarctica, que fornecia o gelo, o Parque teve até um urso polar com habitat climatizado.

Desde aquela época, o Parque vivia freqüentando as manchetes dos jornais, mas por outros motivos que os de hoje. Certa vez um tratador foi atacado por um leão e uma sucuri gigante fugiu do local e teve que ser carregada por cinco homens, após sua captura. Os dois fatos ganham ampla cobertura da imprensa paulistana, na época.

Hoje, após o Parque ser praticamente dizimado e passar por uma lenta e precária recuperação, as manchetes dos jornais são outras: “Parque Abandonado”, “Vereador quer mudar nome do Parque”, “População reclama das condições do Parque”.

O Parque da Aclimação, infelizmente, não vem sendo tratado com a seriedade que ele merece e a importância que tem para a nossa cidade.

Em abril de 1986, preocupados com a cessão de áreas do parque a particulares, realizadas durante as sucessivas gestões municipais desde a compra do terreno pela prefeitura, a Associação de Defesa do Parque da Aclimação entrou com um pedido
de tombamento do local junto ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico e Turístico do Estado (Condephaat). Pois de uma área de 182 mil metros quadrados incialmente adquiridos em 1939, em 1986, restavam 112 mil metros quadrados, pois o restante fora utilizado para outros fins, inclusive para construção de uma escola ao lado do Parque. No dia 5 de outubro de 1986, o Parque da Aclimação foi tombado pelo Condephaat, livrando-se finalmente dos perigos de retalhamento e de obras que ameacem sua integridade.

Atualmente, o parque recebe de cinco a sete mil pessoas nos fins de semana. Ao contrário dos tempos em que se chamava Jardim da Aclimação e atraía moradores de outros pontos da capital em busca de lazer, hoje a maioria dos seus freqüentadores vive no bairro.

(fonte: WIKIPÉDIA)

 

 

 

Um pouco da historia da Praça General Polidóro onde encontra-se sediada a Camis Imóveis...

Aberta pela Prefeitura nos primeiros anos do século XX no "Morro da Aclimação", esta praça serviu durante anos como um "campinho de terra" para a prática de futebol por integrantes do "Clube República", fundado por jovens da comunidade. Nos mapas da cidade de 1916, o espaço da praça já aparece demarcado, mas sem denominação. Em 1924, ela já estava pronta e recebia o seu primeiro nome oficial: "Praça Dr. Rodrigues Alves" ou Conselheiro Rodrigues Alves. Em 1931, a sua denominação foi alterada para "Praça General Polidoro", uma homenagem ao General Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão, que se distinguiu na Guerra dos Farrapos e na Guerra do Paraguai.

(fonte: Blog Saudade Sampa - 23/04/2009 Publicada por Sra. Eli Mendes)


CONTATO

Praça General Polidóro, 67
01531-050 - Aclimação

São Paulo - SP
Veja mapa de localização
Telefone
(11) 3271-0551

Email
camis@camis.com.br